Blog

Luvas de Proteção

Luvas de Proteção

Imagem: Imbraep

Por Dupont

"Quando o assunto é proteger as mãos dos trabalhadores, todo cuidado é pouco. Em estudos recentes publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), concluiu-se que 35% dos acidentes de trabalho acontecem nos membros superiores como mãos, braços e antebraços. Dentre eles, acredita-se que 70% aconteçam porque o trabalhador não usava nenhum tipo de proteção, e 30% porque usava uma luva inadequada para a situação.

Esse é um número altíssimo!

A boa notícia é que, com os treinamentos e equipamentos corretos, é possível diminuir significativamente essa estatística. Mas, mais do que investir num EPI seguro, é preciso ter certeza de que ele também é confortável para que o colaborador não se sinta instigado a retirar a luva durante o processo para executar melhor o trabalho.

No Brasil, existem diversos tipos de luva, cada qual com sua função específica, e regras regulamentadoras que garantem segurança para quem usa. Veja, abaixo, algumas curiosidades sobre esse EPI e continue acompanhando nosso Blog para não ficar de mãos atadas na hora de escolher:

1. Existem normas reguladoras específicas no Brasil visando mais qualidade, segurança e conforto das luvas

Para se certificar de que você está oferecendo um material de qualidade para os trabalhadores, observe se o EPI que você escolheu atende às seguintes normas:

  • EN 420 – Requisitos Gerais para Luvas (tamanhos, marcações, destrezas)
  • EN 388  – Riscos Mecânicos
  • EN 407 – Riscos Térmicos
  • EN 12477 – Processos de Soldagem
2. A eficiência da luva é medida por Newtons

Para validar a eficácia de uma luva resistente ao corte existe o Selo de Resistência, que segue a ISO 13997 e mais conhecido como o “teste do TDM”e define a força máxima do corte que o material resiste. Ele varia de Fraco – 2 Newtons até Forte – com mais de 30 Newtons (e onde grande parte das luvas feitas com DuPont™ Kevlar® se encaixa).

3. Corte é diferente de abrasão

É comum ouvir que determinada luva protege contra “corte e abrasão”. Entretanto, esses tipos de perigos são diferentes e uma luva é considerada realmente eficaz para o trabalhador da indústria quando evita esses dois problemas.

Abrasão é uma espécie de desgaste devido a partículas ou materiais rígidos que são forçadas contra a luva. Já corte é um desgaste mais severo que remove uma parte do material da luva.

4. Existem 6 tipos de luvas de proteção presentes no mercado

Cada categoria de trabalho pede um tipo diferente de cuidados ao colaborador. Ao longo dos anos, foram desenvolvidas diversas tecnologias que garantem qualidade e segurança para quem usa.

  • Luvas de Alta Tensão: essas luvas oferecem proteção contra choques elétricos e queimaduras de nível grave, tendo capacidade de isolamento de 500 até 40.000 volts. Normalmente são compostas de borracha e comuns nas áreas de manutenção de indústrias e redes elétricas em geral.
  • Luvas de Neoprene: utilizadas nas indústrias metalmecânica, alimentícia, limpeza, automotiva e química, essa opção apresenta alta resistência mecânica contra uma grande quantidade de produtos químicos. Costumam ser maleáveis, confortáveis e permitem impermeabilidade para o trabalhador.
  • Luvas de PVC: esta opção é muito resistente contra produtos químicos, cortes e abrasão em menor escala. É ideal para ser usada na lavagem de peças em corrosivos e decapantes, na pintura à pincel ou pistola, carregamentos de lã ou livro ou no manuseio de ácidos.
  • Luvas de Vaqueta: apesar de não ter uma longa vida útil e é ideal para manuseios de materiais agressivos e serviços pesados. É comum encontrar esse tipo de luva na construção civil ou indústria automobilística.
  • Luvas de Proteção Látex: com grande capacidade de conforto e maleabilidade, essas luvas não prejudicam o tato e são recomendadas para a indústria alimentícia, química, agroindustrial e de higienização. É uma excelente opção para atividades de imersão, uma vez que incapacita a penetração de líquidos.
  • Luvas Kevlar®: consideradas as melhores do mercado, as luvas Kevlar® não conduzem eletricidade, não derretem e não são inflamáveis. Excelentes aliadas na proteção de corte, abrasão, lacerações e térmicos, elas são leves e confortáveis, garantindo maior flexibilidade de movimentos."

Fonte: Falando de Proteção

Solicite um Orçamento: (11) 99861-0695